terça-feira, 22 de junho de 2010

...e eu não quero lembrar!


Às vezes teu peito dói, mas com uma dor que você logo consegue suprir, sendo com coisas materiais ou imaterias; mas tem vezes que teu peito dói e você nem ao menos consegue explicar o porque disso estar acontecendo!

Literalmente falando, eu estou ótima, tenho o melhor namorado do mundo e estou em uma nova escola, mas claro sempre carregando comigo pessoas que eu sempre vou considerar, e muito.

Mas, se for para falarmos de realidade, não, eu não me encontro em estado físico nem emocional, 100%, digamos que ele está 35%... Se eu fosse tola, ou até mesmo falsa, eu diria que 'estou bem' mas, como isso seria mal para quem lê, para meus amigos (os que realmente se importam comigo) e óbviamente, faria mal pra mim mesma, eu estaria fugindo de uma coisa que talvez não tenha concerto, ou talvez seje sem volta...


O lado ruim de tudo, é que desde o início minha mãe me manteve em um local onde mais pra frente todos sabiam que iam ser felizes, independentemente de notas boas, ou ruins, professores bons ou mals; e o pior de tudo, os laços já estariam TODOS com nós bem apertados sem ter como desfazer, ou não...

"Um belo dia eu resolvi mudar, pra fazer tudo que eu queria fazer", é, e eu queria exatamente isso, fui de cara, sem medo de olhar para trás e ter chances de voltar, chorar, me desculpar, enfim, sem chances de correr pro que, pra mim, era lindo.

Mas o fato não é esse, o fato é que, la parecia ser 'wonderland', tinha (ou pensava eu que tinha) as pessoas mais sensacionais que eu já pude cogitar imaginar nos meu mais belos sonhos, e traçar contornos de canetinhas coloridas dizendo 'Felizes pra sempre', ou, 'Os melhores amigos do mundo'; é, tem coisas que realmente nós precisamos mudar, pular fora, correr para o que a sua cabeça quer para podermos enxergar que nada é feito de aquarela e pincel, e sim de dor e sangue!

Eu comecei com pessoas que desde que eu nasci minha mãe achava que eram os melhores pra mim, e que mais pra frente eu vi que realmente elas eram o melhor pra mim, e hoje elas estão na faculdade, porque em um dia de brincadeiras, eu parei, estagnei em um ano atrás deles e não pude mais manter os mesmos contatos de antes (mesmo sabendo que o quê é verdadeiro nunca muda apesar de mudanças ou trocas de lugares), mas isso logo passou e tudo voltou a uma certa união! Ok, a vida continua, hora de criar novos laços, criei, e criei os que pra mim eram (são) os melhores, eu me sentia viva com eles, sabia que apesar de brigas e descordâncias, uma simples conversa e um simples olhar marejado da mais pura sinceridade, um mero pedido e um simples abraço, mudava tudo e voltava aos tons de colorido do mais belo guache!

Na minha concepção, para eles também era assim... Mas, HOJE, após essa minha mudança porque eu queria o melhor pra mim, para me dar bem no futuro, ando notando que todos esse 'amigos', 'laços', enfim, já foram trocados e com palavras e sentimentos mais intensos que os meus próprios!


É eu estou me contendo ao extremo aqui para não terminar de escrever isto aqui aos rios de lágrimas, e é isso que vou fazer, NÃO vou chorar por algo que nota-se que já fora substituído e a minha presença não importa mais nem um pouco; porque?! ora porque, hoje eu estou em lugares que duas únicas pessoas conseguem suprir toda essa minha ânsia de necessidade das amizades passadas: Thaís, Gabriel e Ramon! Se eu quiser realmente agradecer por coisas ótimas que me aconteceram, agradeço à eles somente, a Thaís porque, apesar de ser nervosinha, me faz ver sentido em felicidade; Gabriel porque simplesmente é o namorado mais legal do mundo; e Ramon porque é o melhor amigo ontem, hoje, amanhã e sempre!

Eu espero que algum dia essas pessoas, que segundo a minha percepção, deêm mais valor pra tudo e percebam todos os seus passos... enfim!

PS: a imagem, bom, para os que eu citei VALE!

K&H - @bcabett.™.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fiquei MUITO feliz por vc ocê ter vindo comentar! Beijos ;* sz'